Chega de Drama

10:36:00

Às vezes eu me pego pensando, como é que eu cheguei tão longe em minha carreira sendo “tão cruel” com meus clientes? Humm, como assim cruel, você deve estar pensando! A maioria dos psicólogos e coaches adota uma postura de “bonzinho”. Isso lhes garante mais clientes, por mais tempo. A grande maioria das pessoas não busca um psicólogo ou coach para “resolver problemas”, o que elas querem é alguém que as escute com atenção e no final diga empaticamente “nossa, você passou por tudo isso?” ; “você está certo!” ; “eu também me sentiria assim se tivesse passado por isso”… Validação é o que as pessoas buscam, não solução!

Agora, eu não estou disposto a dar validação para ninguém. Minha paixão e missão de vida é ajudar sinceramente as pessoas a olharem para suas vidas com honestidade sem se esconderem de nada e a partir daí crescerem de verdade. Para isso no entanto, eu preciso ser cruel! Minha terapia é conhecida como “impacto terapia”!

Você sabe que segundo as leis da física, tudo no universo tende a permanecer em inércia até que um impulso mude o direcionamento e movimento do objeto. É incrível como nós seres humanos também obedecemos à mesma lei! A vantagem é que nós podemos nos auto-impulsionar, não precisamos que o estímulo seja externo. O grande problema é que em algum ponto da nossa história - ou será que sempre foi assim? - nós começamos a acreditar que “algo” precisa nos impulsionar, algo de fora, precisamos encontrar a motivação, precisamos encontrar uma razão para sairmos da inércia, do contrário, ficamos lá quietinhos, sem fazer barulho.

O problema é que ao ficarmos parados, nós começamos a “afundar”. Nossos problemas começam a nos engolir, nossa realidade parece insuportável, olhamos em volta e tudo o que sentimos é frustração, medo, ansiedade, descaso. Começamos então a buscar os culpados por essa situação. Seria o governo? Seria Deus? Seria meu cônjuge? Seriam meus pais que não me preparam adequadamente para a vida que hoje tenho que enfrentar? Seria meu chefe que insiste em pegar no meu pé e tornar a minha vida profissional um inferno? E nessa turbulência toda, tudo o que queremos é que alguém passe a mão em nossa cabeça e aponte certeiramente o culpado, nos tranquilizando e dizendo que tudo vai passar. Vamos então procurar um profissional que faça isso bem feito!

E é aí que eu entro! Se você já é meu leitor há algum tempo, você sabe o que eu faço! Eu não passo a mão na cabeça não! Meu objetivo é AJUDAR de fato meu cliente, não afundá-lo ainda mais em seu emaranhado de dramas. E meu dedo aponta para ele quando eu identifico “o culpado”. Ninguém é responsável por sua vida além de você mesmo, você sabe disso, não sabe? Isso já chega até a ser um clichê! É uma daquelas frases que de tanto serem repetidas ninguém mais sabe o que significa!

Ah, e não, não é diferente no “seu caso”! Se você quer resolver seus problemas de fato e construir uma vida de RESULTADOS, você precisa parar com o drama. As coisas são simples e lógicas, quem complica somos nós mesmos. A hora que você conseguir olhar para seus problemas com frieza e analisá-los sem envolvimento emocional e sem culpar ninguém ou algo externo, você estará avançando.

John Mackenzie

Você Vai Gostar de Ler

0 comentários