Quero Minha Infância de Volta

19:05:00

A maior covardia que a vida faz com a gente é roubar a nossa infância. A gente aprende a viver cada etapa da vida, mas não existe uma fase melhor do que a infância.

Na infância a gente quer aprender, tem sede do conhecimento, pergunta, questiona, se surpreende com as respostas. Com o tempo, a gente quer ensinar, apontar, falar e ignorar tudo aquilo que foge da nossa verdade.

Quando somos pequenos nos contentamos com um bom amigo. E olha que ele nem precisa ser tão bom assim, pode ter defeitos e manias, mas precisa ser nosso parceiro de descobertas e fiel defensor de nossos segredos. Com o tempo, esquecemos dos amigos e os trocamos por seguidores, admiradores, bajuladores. Quanto mais, melhor pra gente - e pro nosso ego. 

Na fase em que começamos a conhecer a vida, nosso lugar mais seguro é no abraço firme do nosso pai e na voz suave da nossa mãe. Quando somos adultos, o lugar mais seguro é dentro de um carro blindado e escuro, num condomínio cheio de muros, arames farpados, cercas elétricas e seguranças.

Naquela época, não precisávamos voar. Qualquer árvore que podíamos subir e nos deixar distantes do chão nos fascinava. Ali estabelecíamos a nossa torre do castelo imaginário; nossa conquista. Hoje, ganhamos o céu em imensos aviões que cortam as nuvens, reduzem as distâncias mas não nos aproximam das estrelas.

Quando somos crianças a magia da chegada do Noel tem mais importância do que o próprio presente. O mistério e a surpresa em ter sido lembrado valem mais do que qualquer coisa. Hoje sabemos que o bom velhinho não existe e gastamos dinheiro para comprarmos coisas na esperança de que elas nos tragam sentimentos...

Mas de tudo que tinha na infância, nada consegue ser mais fascinante do que a bondade do Papai do Céu. Era tão simples fechar os olhos e fazer um pedido! As noites ruidosas de chuva sempre acalmavam depois que a gente se enfiava embaixo da coberta e lembrava dEle. Ninguém melhor do que Ele pra nos ajudar com as notas da prova final. Como era fácil confessar por ter xingado o vizinho, ter quebrado a janela, ter furado a bola do colega... 

Tudo ficou mais complicado. Nossos desejos são mais complexos e nossa felicidade depende de muitas coisas e um monte de pessoas. Queremos ter a mesma felicidade dos outros mas não lutamos para manter distante de nós tudo que nos afasta desse sentimento tão precioso e puro. Sim, a Felicidade se esconde na simplicidade e caminha de mãos dadas com a leveza.

Hoje eu sei que pra ser feliz preciso de muito pouco, que a Felicidade se veste de roupas leves. Então, utilizo minha própria receita pra não errar: Me visto de leveza, porque se não for leve, não combina com a Felicidade. 

Mas uma criança não entenderia essa metáfora, então prefiro dizer que a Felicidade é igual a bolha de sabão: Estoura se eu tentar prender na mão...


Alexandre Barreto

Você Vai Gostar de Ler

4 comentários