Cultuando a Vítima

09:01:00


Estava pensando em como a vida nos dá tantas oportunidades de liberar o passado e as memórias equivocadas - e muitas vezes não aproveitamos isso porque uma parte da gente é muito apegada a ser vítima e tem um ganho de estar nessa posição.

Quantas vezes colocamos nossas dores em um altar e passamos a vida a serviço delas. Isso pode acontecer de forma tão sutil que nem percebemos - ou de forma tão clara, como vemos, muitas vezes, em pessoas que vivem cultuando a sua dor e passam tanto tempo identificados com o sofrimento, que acabam acreditando que aquilo é parte inseparável delas, se adaptam tanto a ser daquela forma que, um dia, podem perceber que a vida está passando... e com ela a possibilidade de viver plenamente fica profundamente limitada pelo apego ao que faz sofrer.

Elas reclamam e reclamam e nem percebem que o reclamar já tira toda a energia que poderia ser usada para fazer alguma coisa para liberá-las do sofrimento. Parece que sentem prazer em reclamar e em contar suas inúmeras dores, tornando isso uma parte tão arraigada delas que até já vi pessoas que contam seus sofrimentos com uma certa alegria. Mas será que é só esse tipo de alegria que merecemos?

Existem pessoas, em maior ou menor grau que cultuam a dor de tal forma, transformando-se em eternas vítimas - e a vítima nunca pode se libertar, porque acredita que depende de algo fora dela: sempre existe um culpado, seja uma pessoa, uma situação, o destino... Enfim, o que não falta é algo fora para ser considerado o algoz e, como vítimas inocentes, não podemos fazer nada porque dependemos de uma ação do outro. Acreditamos que dependemos de algo fora de nós para nos libertar... E, com isso, usamos a dor ou sofrimento como justificativa para não vivermos muitas coisas.

Quantas vezes usamos as nossas dores e sofrimentos como "desculpas" para não fazer isso ou aquilo, para não participar da vida que pulsa presente em cada minuto em que respiramos. Ao passo que existem pessoas que teriam todas as "desculpas" para se limitarem, e que vão em frente apesar das dores e sofrimentos e, em exemplos emocionantes de superação, aproveitam todas as oportunidades que a vida oferece, ultrapassando em muito os limites do que acreditávamos ser possível.

Uma chave preciosa para sairmos do estado de vítimas é assumirmos 100% de responsabilidade por tudo que nos acontece e passarmos a olhar para todas as situações como oportunidade de liberação. Seja o que for que nos faz sentir "vitimas", podemos olhar para aquilo como algo que está nos mostrando fora, o que temos dentro e que precisa ser liberado para que possamos prosseguir com nossa evolução.

Precisamos ver fora o reflexo do que temos dentro porque de outra forma não conseguiríamos nos libertar e nos tornar quem verdadeiramente somos. E o que somos não tem nada a ver com "ser vítima" de nada nem de ninguém. Somos seres plenos e co-criadores da nossa realidade...

Será que vamos passar a vida encontrando justificativas e desculpas para não viver.ou vamos usar todas as oportunidades que ela nos oferece, dia após dia, para nos libertar do que prende e limita e acessar todo o potencial de Humanos tão Divinos que Somos?

Rubia A. Dantés

Você Vai Gostar de Ler

0 comentários